MOSTRA DE FILMES TEATRO DA VERTIGEM

Um dos mais estáveis grupos teatrais brasileiros, o paulistano Teatro da Vertigem, aproveita sua primeira temporada realizada no festival Cena Contemporânea para apresentar a Mostra de Filmes das peças do grupo, cuja trajetória remete ao início dos anos 1990. Confira a programação:

25 de agosto, às 19h

O Paraíso Perdido’ e ‘O Livro de Jó

Auditório II do Museu Nacional

Com ‘O Paraíso Perdido’ a companhia busca tratar de algumas das mais recorrentes questões metafísicas: a perda do paraíso, sua nostalgia e a consequente busca de um religamento original. Em ‘O Livro de Jó’, o grupo aprofunda a pesquisa nos elementos vivenciados no trabalho anterior, mantendo o processo de depoimentos pessoais dos atores e trazendo o universo da palavra para a montagem.

26 de agosto, às 19h

Apocalipse 1,11

Auditório II do Museu Nacionalbr>

No segundo semestre de 1998 o Teatro da Vertigem se dedicou à criação de um texto dramático a partir do texto bíblico ‘O Apocalipse de São João’. Fim dos tempos ou começo de uma nova era? O final de milênio pareceu conter ambos comportamentos: o terror da aniquilação total e a utopia de uma nova civilização. Daí o interesse em investigar esta zona de tensão e ansiedade que ainda vivemos, em todas as suas contradições.

27 de agosto, às 19h

Kastelo

Auditório II do Museu Nacional

Livre criação a partir da obra ‘O Castelo’, de Franz Kafka, o espetáculo acontece na fachada de um prédio comercial envidraçado. As cenas se desenrolam em estreitos balancins de construção dispostos diante da fachada, onde os atores atuam pendurados. O público, imóvel do lado de dentro do prédio, assiste à encenação através da janela: incapacitado de tomar parte da ação, contempla o seu desenrolar de maneira passiva.

28 de agosto, às 19h

A Última Palavra é a Penúltima 2.0

Auditório II do Museu Nacional

Nem novidade, nem repetição. Este trabalho do Teatro da Vertigem para 31ª Bienal São Paulo se propõe revisitar o já feito enquanto reflete um espaço de outrora: o acesso subterrâneo da Rua Xavier de Toledo, no centro de São Paulo. Seis anos depois, as questões relativas ao esgotamento, a partir do texto ‘O Esgotado’, de Gilles Deleuze, que inspiraram ‘A última palavra é a penúltima’, em 2008, parecem ter se potencializado para o grupo, em especial, às condições sociais e suas perspectivas de futuro, aos horizontes de expectativas do que é possível.

28 de agosto, às 20h

Roda de Conversa com o grupo

Auditório II do Museu Nacional

A roda contará com os integrantes do Teatro da Vertigem, a fim de traçar um panorama da trajetória artística e criativa dos 25 anos de trabalho do grupo.