VAGA CARNE – GRACE PASSÔ (MG)

Foto: Kelly Knevels

Foto: Kelly Knevels

 

 

Solo de Grace Passô, a peça é um campo de jogo entre palavra e movimento, onde um corpo de mulher vive a urgência de discurso, à procura de suas identidades e de pertencimento. Em sua narrativa, uma voz errante, capaz de invadir qualquer matéria sólida, líquida ou gasosa, resolve, pela primeira vez, invadir um corpo de mulher e, a partir dessa experiência, narra o que sente, o que finge sentir, o que é insondável em si, o que sua imagem é para o outro, o que significa um corpo enquanto construção social. O espetáculo inaugura o Projeto Grãos da Imagem, que reúne peças em torno de temas identitários. A peça estreou no Festival de Curitiba de 2016. Dentre os prêmios e indicações que o trabalho recebeu, estão APTR, Prêmio Shell RJ e Prêmio Cesgranrio.

Grace Passô é diretora, dramaturga e atriz e trabalha em parceria com artistas e companhias teatrais brasileiras. Dentre seus últimos trabalhos, estão a direção de “Contrações” (Grupo 3 de Teatro, SP), “Carne Moída” (em parceria com Kenia Dias), “SARABANDA” (em parceria com Ricardo Alves Jr) e “Mamá” (Zula Cia, BH). Atuou durante dez anos em espetáculos do repertório do Espanca!, grupo mineiro que fundou e no qual permaneceu como dramaturga e diretora. Dentre os diversos prêmios recebidos estão Prêmio Shell SP, APCA, SESC SATED MG, Usiminas Simparc MG, Prêmio APTR, Cesgranrio e Prêmio Shell RJ.

 

Concepção, atuação e dramaturgia: Grace Passô

Equipe de criação: Kenia Dias, Nadja Naira, Nina Bittencourt e Ricardo Alves Jr.

Realização

Patrocínio

Apoio

Incentivo e fomento

Este projeto é realizado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura do Distrito Federal e do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal.